24 de setembro de 2013

Queer Lisboa 17


Allô a todos!


Decorre durante esta semana o festival de cinema Queer Lisboa, que já conta com a sua décima sétima edição. Durante todo o festival irão estar em concurso longas-metragens, curtas-metragens e ainda documentários. 

Não obstante a isso, ainda se desenrolam em simultâneo outras sessões (a não concurso) dedicadas a realizadores, períodos históricos marcantes para a comunidade LGBT. São passadas ainda outro tipo de películas de carácter mais lúdico e com o teor de, também como as outras, nos fazerem pensar e refletir acerca da história da comunidade lésbica, gay, bissexual, transsexual e transgénero ao longo do tempo bem como passar em revista a história do cinema, e do cinema queer, respectivamente.

Podem acompanhar o programa do festival através do site: Queer Lisboa

Ontem decidi aproveitar o tédio habitual de domingo para ir até ao São Jorge ver um filme não tão ''ortodoxo'' por assim dizer, Rugged Men. É uma longa-metragem pornográfica da década de 70 (mais precisamente de 1973) e insere-se numa onda experimentalista, para a época claro, mesclando com BDSM e alguns toques de kitsch. Do realizador Avery Willard (1921-1999), este filme americano fala acerca de um conjunto de ícones sexuais conhecidos da cultura gay onde o jogo e o domínio sexual por parte destes é constante assim como a imagem explicita também é uma dominante em todo o filme.


Confesso que as minhas expectativas acerca deste filme eram poucas, porque achava que seria muito mais violento e agressivo, mas... ele superou as minhas expectativas no sentido em que nunca achei que iria rir tanto num filme pornográfico ou que iria chegar à conclusão que a minha avó tem peças em casa iguais as que decoravam os decors daquele filme. 
Não falando da prestação dos actores, que eram fisicamente bem constituídos por sinal, devo constatar que um deles tinha uma tatuagem de um coração com um chicote numa das nádegas e que, a parte disso, todo o elenco suscitou comentários na assistência como ''isto parece uma daquelas cenas estilo Charlie Chaplin'' ou ''porque está ele a usar manteiga como lubrificante?''. 
Penso que este tipo de filmes fazem com que tenhamos uma consciência maior acerca da evolução da pornografia gay bem como do género masculino, dadas as diferenças do homem da época para o homem da actualidade.

Em jeito de despedida deixo-vos uma lista de filmes do meu agrado para verem até ao final do festival:
Interior. Leather Bar. - 24/9 às 22:01h e 25/9 às 17:16h
Wildness - 25/9 às 17:00h

Curtas Queer Art 1 - 26/9 às 23:30h
Les Rencontres d'Après Minuit - 26/9 às 23:59h e 27/9 às 17:15h
Curtas In My Shorts 2 - 28/9 às 14.30h

Gore Vidal: The United States of Amnesia - 28/9 às 15h

I Am Divine - 28/9 às 17h
10 Men - 28/9 às 17:15h
Five Dances - 28/9 às 17:16h
Queer Pop 1: David Bowie  - 28/9 às 18:15

para mais informações consultem a programação do Queer LX em: programação queer lx


desejo-vos a todos e a todas bons filmes, um enorme beijinho e até ao próximo post! 

Sem comentários:

Enviar um comentário