20 de junho de 2013

para me conhecerem melhor - parte I


Allô a todos!
Já há muito tempo que eu não faço nenhum post, mas fiquem tranquilos, eu continuo vivo! Eu não sei se isto é uma característica minha, mas geralmente eu não termino o que começo.
Quando eu inicio uma nova actividade começo de corpo e alma e dedico-me 100%, fico todo empolgado, mas depois acabo sempre desanimando e paro na metade do objectivo.
Vou-vos dar alguns exemplos: Não consigo ler um livro até o final. Não consigo manter uma rotina para actualizar o blog pelo menos dia sim - dia não. Não consigo terminar a maioria dos objectivos a que me proponho. Não consigo cumprir as metas a que me estabeleço.
Isso atrapalha muito o meu desempenho nos estudos e na minha vida pessoal como é óbvio! E é algo com que eu luto à muito tempo mas que não consigo mudar.
A grande maioria da minha vida foi feita de pedaços incompletos, às vezes eu sou muito adulto, culto e pareço ter toda a confiança e certezas acerca do mundo e do que rodeia, outras sou uma criança estúpida e mimada, outras um ser frio e repleto de raiva e ódio.
Sou assim, meio alegre, meio triste, meio vivo, meio morto, meio sábio, meio não sábio, meio amado e meio odiado.



O pior é quando magoo as pessoas ou estas se magoam comigo, isso deixa-me completamente arrasado. Só de pensar quantas oportunidades eu já desperdicei, quantas pessoas eu fiz sofrer, quantos «amores» eu já perdi e como uma pessoa realmente pode mudar o rumo e o destino de outra...
Eu costumo ser aquele ser cativante, causo uma enorme impressão nas pessoas que conheço, quem não gosta de uma pessoa bem disposta à primeira vista? que a faz rir, que conversa bastante sobre tudo o que é assunto, que tem sempre o seu auge e a sua confiança no máximo, que é carinhoso, que ouve e sabe falar o que é preciso quando é preciso... quem? quem não gosta?!
Agora imaginem o contrario de tudo isso quando o meu ''entusiasmo'' passa... é praticamente impossível de compreender um ser que muda tudo o que era de uma hora para outra. Parece que eu sou uma pessoa que usa e deita fora, egoísta, aproveitador, mentiroso e por aí a diante...
Mas o que sou EU de verdade? Qual a metade que equivale a minha verdadeira natureza? Porque é que tudo o que era empolgante perdeu o valor?
Às vezes eu prefiro os meus momentos de vazio, porque ao menos eu fico sensível a todo tipo de sentimento, não me magoo nem a mim, nem a mais ninguém, mas deixo de existir por alguns instantes... Sou facilmente absorvido nas palavras que escrevo e aí torno-me um imenso vazio em que até as minhas metades se voltem a juntar e formem o ser do qual eu tenho amor e ódio ao mesmo tempo... O ser no qual eu confio mas do qual tenho medo, o ser que eu criei mas quero destruir, aquele que vem de dentro de mim, mas que eu muitas vezes sinto que não é o meu, que a nada nem a ninguém pertence.

Espero que com isto vos tenha dado a conhecer um pouco mais sobre mim... Até ao próximo post! 

Sem comentários:

Enviar um comentário