11 de abril de 2013

exposição Verdi Reinventado (comentário)


Allô a todos!
Hoje fui à inauguração da exposição ''Verdi Reinventado'' no Teatro Nacional de São Carlos e trago-vos aqui uma breve apresentação e comentário da mesma (não com fotos das peças no local, pois tem muito mais piada vê-las instaladas no teatro). Vamos a isto?


A fim de comemorar o bicentenário do nascimento de Verdi (compositor italiano), o Teatro Nacional de S.Carlos começou a apresentar a partir de hoje a sua trilogia e levará acabo até dia 11 de Maio, a passagem daquelas que foram as três obras mais importantes do autor.
Il Trovatore será passado no dia 14 de Abril às 16h bem como nos dias 30 de Abril e 7 de Maio às 20h.
La Traviata poderá ser vista nos dias 12, 16 de Abril e 2 de Maio às 20h e dia 28 de Abril às 16h.
e por fim mas não menos importante, a ópera Rigoletto irá ser passada nos dias 3, 9 e 11 de Maio pelas 20h bem como na tarde de 5 de Maio às 16h.
Estas peças serão dirigídas pelo maestro Giovanni Andreoli e tocadas pela Orquestra Sinfónica Portuguesa. 



Passando agora à exposição, o convite surgiu por parte do Teatro Nacional de São Carlos que, desafiou os alunos da turma 12ºG da área de Produção Artística - Realização Plástica do Espectáculo da minha escola (Escola Artística António Arroio) a conceberem peças inspiradas na sua visão pessoal acerca do trabalho de Verdi (vida e obra). Este conjunto de 22 trabalhos apresentados foi fruto da sua FCT (Formação em Contexto de Trabalho), sendo orientados para tal pelas professoras Carla Monereo, Carla Rosa e Maria Altína Martins.


Podemos observar de tudo um pouco nesta exposição colectiva, desde instalações, figurinos, adereços (no geral, o trabalho que os alunos desenvolvem na disciplina de Projecto e Tecnologias).  A exposição está patente durante o tempo da comemoração (10 de Abril - 11 de Maio) e volto a frisar que vale muito a pena visitá-la, até porque é de entrada gratuita!
Passando agora à ''apreciação'' das peças em si, devo dizer que fiquei mesmo muito satisfeito com o que vi! Confesso que ao princípio ia com as expectativas mais em baixo, dado que apesar de saber a qualidade que os trabalhos efectuados pelos meus colegas têm, nunca os pensei em ver como parte provisória da ''decoração'' do S.Carlos. Se tivesse de a caracterizar numa frase seria ''uma exposição com um elevado sentido estético.'', porque apesar de tudo (e perdoem me a indelicadeza)... nós... somos apenas estudantes, que procuramos na António Arroio ter uma porta de acesso para um mercado que tem vindo a crescer e  onde a concorrência é vasta e vêm de todos os lados. Por isso, ter como ''começo'' (por assim dizer) uma exposição colectiva num dos maiores teatros a nível nacional, é de ser valorizado!   


De toda a maneira, assim que se entra no Foyer tem-se um ''encontro imediato'' com três peças que em suma retratam a obra de Verdi (de uma forma mais conceptualista e não tão dramática, claro!). O resto das peças estão dispostas pelas escadas de acesso aos camarotes e às bancadas bem como no Salão Nobre. Acho que a exposição está muito bem construída, as peças estão com uma qualidade muito boa e fazem uma ligação muito boa também entre aquilo que é uma aprendizagem contínua (que acontece na escola) com a aplicação dessas mesmas aprendizagens. Os meus parabéns a todos os que contribuíram para que esta exposição tivesse sucesso! BRAVO!
Deixo ainda a anotação que as fotografias usadas foram retiradas do site do TNSC e foram tiradas pelos alunos de fotografia de 12ºano (também da minha escola!) a quando do processo de realização das obras pelos alunos, por isso os elogios também se estendem a eles como é óbvio, um trabalho feito com muito bom gosto!




e aproveitando esta onda lírica que paira pelo blog, deixo-vos um dos meus trechos de ópera favoritos!

Papagena / Papageno




Sem comentários:

Enviar um comentário