17 de abril de 2013

coisas de adolescente. - I


Allô a todos!
Hoje estou especialmente melancólico. É o meio da semana, tive teste intermédio de filosofia hoje (e como é óbvio nestes casos nunca sabemos se a nota irá ser boa ou má) e a motivação para a escola anda pelas ruas da amargura! O que vale é que esta segunda que passou comprei um diário gráfico novo e então espero nele passar parte ''de mim'' e do meu quotidiano (como penso que faço aqui.).

(a minha escola algures pela manhã, agora que os dias de calor voltaram sabe ainda melhor vir cá para fora aproveitar o sol e o convívio!)

E é nestes momentos onde eu estou mais ''em baixo'' que penso se as coisas valem realmente a pena ou não... Somos adolescentes e se não escolhermos agora algo que nos faça felizes pode ser que mais tarde isso já não dê para ser realizado e ficamos sempre no sonho ou na expectativa de ter feito que algo que realidade ''nunca foi'' concretizado. Todas as semanas eu faço estas questões a mim mesmo ''será que isto vale a pena?''; ''será que pessoa X ou Y vale a pena?''; ''serei capaz de concretizar tudo aquilo em que penso todos os dias?''. 
Não sei, se calhar cresci muito em alguns termos e pouco noutros (como costumo pensar), porque em comparação com outras pessoas da minha idade eu já penso em arranjar um part-time, em estudar e trabalhar ao mesmo tempo, em viver sozinho ou com uma amiga. Sei lá! Para mim tudo isto são coisas perfeitamente normais para um jovem da minha idade pensar. Não é propriamente na nova sensação do youtube ou na ganza que se fuma depois das aulas. Às vezes só gostava que tivesse alguém dentro do ''meu género'' que me acompanhasse e que me dissesse ''olha, eu também gostava de fazer isto e isto como tu, pensava que era a única a pensar assim'' e que cada vez mais os pontos de vista fossem convergentes.

(fotografia tirada pela Beatriz a quando da hora de almoço, penso eu)

Não me cabe na cabeça os universitários ficarem a chular (literal e complemente) os pais até terminarem o ensino superior só porque trabalhar está escasso e o bom é andar nas festas todas e baldar-se as aulas para ir ter com ''amigas''.
Como eu e a minha mãe dizemos ''trabalho existe sempre, emprego é que não.'' porque quem quer trabalhar trabalha. Agora quem quer um emprego das 9h-18h, estilo funcionário público daqueles que pouco faz e com um ordenado superior ao que se ''trabalha'', que vá procurar a outro lado!
Fica aqui o meu ponto de vista! (e desculpem o desabafo, estava mesmo a precisar!!)



P.S. - deixo-vos aqui uma música de The XX - Our Song

Sem comentários:

Enviar um comentário